UEMA realiza abertura do Simpósio de Planejamento com o tema “Ser Universidade no século XXI”

11

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), por meio da Pró-Reitoria de Planejamento (PROPLAN), realizou na noite de ontem (15), no Rio Poty Hotel – Ponta D’Areia, a abertura do primeiro Simpósio de Planejamento Institucional, com o tema “Ser Universidade no século XXI: Horizontes e desafios para uma nova UEMA”.

Participaram da solenidade de abertura, o reitor da UEMA, Gustavo Pereira da Costa; o secretário de Estado da Ciência e Tecnologia, Bira do Pindaré, representando o governador Flávio Dino; o vice-reitor, Walter Canales Sant’Ana; o pró-reitor de Planejamento, Antônio Roberto Serra; a secretária municipal de Informática e Tecnologia, Tati Lima, representando o prefeito, Edivaldo Holanda Júnior; o presidente da FAPEMA, Alex Oliveira; o presidente do IMESC, Felipe de Holanda. E ainda os pró-reitores de Administração, Gilson Mendonça; de Graduação, Andrea de Araújo; de Extensão e Assuntos Estudantis, Porfírio Candanedo Guerra e a coordenadora de Pós-Graduação, Rita de Maria Seabra Nogueira, representando o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Marcelo Cheche.

Além de diretores de Centro e de Curso, professores, alunos, autoridades, servidores e convidados. O secretário de Estado da Ciência e Tecnologia, Bira do Pindaré, disse em seu discurso, “estou representando o governador Flávio Dino para reafirmar o nosso compromisso com o fortalecimento da Universidade Estadual do Maranhão. A UEMA é a nossa universidade, e por esse motivo, temos dedicado uma pasta especial no nosso planejamento para a Instituição”.

Ele enfatizou ainda que o Governo está somando todas as forças para que a UEMA possa se expandir cada vez mais. “Oferecemos nossa cota de colaboração para a mudança nos índices de educação que assolam o estado do Maranhão. É preciso avançar na qualificação das pessoas, e dessa forma, desenvolver de maneira ampla e sustentável as ações no Maranhão”, enfatizou o Secretário.

O reitor, Gustavo Pereira da Costa, afirmou que com este primeiro Simpósio de Planejamento da UEMA, irão erguer-se as bases para (re) significações com vistas a (re) construção de uma UEMA mais forte e consolidada, alinhada às expectativas do Maranhão de todos nós.

“Estamos nos lançando em uma nova jornada em nossa universidade, da construção coletiva do Plano 2de Desenvolvimento Institucional (PDI), que é um processo de caráter participativo em que todos são imprescindíveis. O planejamento não comporta acomodação e nem passividade. É preciso nos reinventar, a partir de novos paradigmas. Esse Simpósio é um chamamento inicial para mobilizar e sensibilizar a comunidade universitária da importância de se repensar o planejamento institucional, para assim definir prioridades e, ao mesmo tempo, se comprometer com as diretrizes e ações que serão traçadas para os próximos anos”, destacou o Reitor.

Para o Pró-Reitor de Planejamento, Antônio Roberto Serra, esse primeiro Simpósio é um ponto de convergência em um processo de revisão do planejamento estratégico da UEMA. Segundo ele, “a Instituição está desencadeando uma sequência de novos olhares sobre o que somos e o que queremos ser. A partir de hoje, temos a possibilidade definir uma rota de trabalho para os próximos anos. É tempo de repensarmos, realinharmos e redefinirmos planos em favor da nossa instituição. É o momento de construirmos coletivamente nosso PDI, atrelado a uma série de elementos de cunho estratégico para definir os passos da UEMA”, concluiu.

Palestra de abertura

A palestra de abertura, intitulada “Por uma Universidade inovadora”, foi proferida pelo Fundador e ex-presidente da Embraer; ex-presidente da Petrobrás; ex-ministro de Estado e atual Reitor da Universidade Unimonte – SP, Ozires Silva.

PDI

O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) é o instrumento de planejamento que traça o perfil da instituição de ensino, considerando sua missão, diretrizes pedagógicas, estrutura organizacional e atividades que desenvolve e pretende desenvolver para alcançar seus objetivos e metas para um período de cinco anos. Deve estar intimamente articulado com a prática e os resultados da avaliação institucional, realizada tanto como procedimento autoavaliativo quanto externo.

Por: Karla Almeida

Compartilhar.